registe-se
recuperar password
Plano de promoção da atividade física

Reunião preparatória para elaboração do plano municipal

A Tempo Livre e a Câmara Municipal de Guimarães promovem na próxima sexta-feira (29 de março) uma reunião setorial com vista à elaboração do Plano Municipal de Promoção da Atividade Física, Saúde e Qualidade de Vida de Guimarães (PMPAFSQV). O encontro, agendado para as 21 horas, no Multiusos de Guimarães, reunirá clubes e associações desportivas de Guimarães.
No primeiro ciclo de reuniões participaram estabelecimentos de ensino e juntas de freguesia, associações de estudantes, associações juvenis, associações de pais, ACES do Ave, Centro de Medicina Desportiva de Guimarães, Hospital Senhora da Oliveira, IPSS, Divisão de Ação Social (Câmara Municipal de Guimarães), Fraterna e Sol-do-Ave.
Além da apresentação do Plano Municipal de Promoção da Atividade Física, Saúde e Qualidade de Vida de Guimarães, os encontros setoriais pretendem identificar problemas e constrangimentos e recolher contributos, ideias e sugestões das entidades presentes.
Projeto único no país na área promoção da Atividade Física, Saúde e Qualidade de Vida, o plano definirá uma estratégia para o ciclo de 2018-2025 visando incrementar e aumentar os índices de atividade física regular e prática, generalizar a prática desportiva em idade escolar, impulsionar o desporto como ferramenta de inclusão social, reduzir as diferenças de género na prática desportiva e na atividade física e incrementar os índices de saúde, bem-estar e qualidade de vida dos cidadãos.
As reuniões são acompanhadas pela Comissão Executiva do Plano de Promoção da Atividade Física, Saúde e Qualidade de Vida, liderada por Amadeu Portilha, Presidente da Tempo Livre, assim como por elementos da Comissão Consultiva e os vereadores da Câmara Municipal de Guimarães Adelina Paula Pinto (Educação e Juventude), Ricardo Costa (Desporto) e Paula Oliveira (Vereadora da Ação Social).

Conselho Consultivo do Plano Municipal

O Conselho Consultivo do Plano de Promoção da Atividade Física, Saúde e Qualidade de Vida integra representantes da Câmara Municipal de Guimarães, Tempo Livre, Universidade do Minho, Direção Geral de Saúde, Centro Médico do Desporto de Guimarães, Centros de Saúde do Alto Ave, Unidades de Apoio ao Alto Rendimento na Escola, Instituto de Estudos Superiores de Fafe, Instituto Politécnico de Viseu/Escola Superior de Desporto, Instituto Português do Desporto e Juventude e Coordenação Distrital do Desporto Escolar.
O plano vimaranense contempla na sua estratégia, os princípios básicos defendidos pela Organização Mundial de Saúde, seguindo as orientações da União Europeia para o fomento da atividade física e as recomendações do Plano Nacional de Atividade Física, Programa Nacional de Desporto para Todos e da Estratégia Nacional para a Promoção da Atividade Física, da Saúde e Bem-estar.
A estratégia a desenvolver tem como população alvo, entre outros grupos, a população escolar e universitária (crianças, adolescentes e jovens em formação), populações em risco e em situação de exclusão social, seniores e pessoas portadoras de deficiência.
Aquando da primeira reunião do Conselho Consultivo, presidido por Pedro Sarmento Lopes, professor na Faculdade de Desporto da Universidade do Porto, o docente destacou que “o que se está a passar [em Guimarães com o Plano de Promoção da Atividade Física, Saúde e Qualidade de Vida] é algo completamente novo. Não estamos habituados a trabalhar o desporto com a saúde, universidades, autarquias e parques empresariais. O que está a acontecer é algo totalmente novo”.              
Com o plano “será possível perceber como tudo se conjuga e se interliga por forma a usar de forma competente o levantamento de dados que está já a ser executado”, explicou Ricardo Costa, vereador do Desporto da Câmara Municipal de Guimarães. “A maioria das pessoas diz que a atividade física aumentou em Portugal nos últimos anos, mas isso é apenas uma simples perceção contrariada, aliás, pela realidade dos números dos estudos. Importa perceber o que está a acontecer e definir o que deve ser feito, não só ao nível desportivo, mas também na educação, ao nível social e até empresarial, referiu o autarca.
No primeiro encontro do Conselho Consultivo foram abordados alguns dados de diagnóstico à realidade local, considerando os alertas e advertências apontados pelos mais recentes estudos e relatórios da Organização Mundial de Saúde e da União Europeia (Eurobarómetro 472), e em sintonia com as O orientações da União Europeia para a Atividade Física, Programa Nacional de Desporto Para Todos, Plano Nacional de Atividade Física e Estratégia Nacional para a Promoção da Atividade Física, da Saúde e do Bem-estar.


25.março.2019


voltar
 
Design por Martino & Jaña Design | Desenvolvido por Webprodz